Ciência e Quotidiano

Publicidade

Publicações Ciência e Quotidiano da Escola de Mestres

E Nós Assamos o Planeta

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

Para entrar em contato com a autora, clique aqui, por favor.

Esse calor está insuportável!!

Talvez seja a frase preferida de quase todos nos últimos verões. Mas quantos se perguntaram o porquê da permanência de altas temperaturas? Quem correlacionou o racionamento de energia com o excessivo calor? Quantos desejaram saber as causas ou razões da falta de chuvas?

As respostas estão um pouco distantes no tempo. Comecemos pela invenção da grande máquina - a máquina a vapor, e a conseqüente Revolução Industrial.

O desenvolvimento das manufaturas foi paralelo à queima de combustíveis fósseis - carvão e petróleo - lançando na atmosfera resíduo gasoso que anteriormente era produzido nas queimadas ou pelos seres vivos através da respiração, o gás carbônico. Esse gás tem a propriedade de se acumular na atmosfera terrestre como uma camada que envolve a Terra e reflete os raios infravermelhos solares na forma de calor de volta para a superfície terrestre.

No início da história da Terra, não havia o gás carbônico que foi "inventado" pelos primeiros seres vivos e se tornou fundamental na capacidade do planeta reter o calor do Sol. Assim os seres vivos tiveram condições mais favoráveis para se desenvolver (evoluir). Podemos dizer que o clima, como é conhecido, teve importante contribuição do gás carbônico. Ei-lo agora como o vilão causador do Efeito Estufa! As temperaturas médias têm aumentado alguns graus por causa desse despejo enlouquecido de dióxido de carbono nos últimos 250 anos. Avalia-se em 600 vezes (???) maior a concentração desse gás neste início de novo milênio.

Os principais riscos do efeito estufa são: degelo dos pólos, alagando as regiões costeiras; mudança no regime de chuvas, alterando características climáticas e causando secas e enchentes continentais; temperaturas elevadas que interfiram no ciclo de vida de várias espécies, inclusive as inviabilizando; favorecimento da ocorrência de doenças, principalmente respiratórias.

As manchetes não nos permitem dormir. O atual Sr. Presidente dos EUA rompe o acordo internacional para redução da emissão de gás carbônico porque o seu país precisa crescer. As padarias e olarias queimam os restos de mata agreste na região Nordeste do Brasil ( e haja CO2) porque a multa é conveniente, inclusive para custear os escritórios do IBAMA. Embora a Amazônia e a África sejam patrimônios de riqueza viva incalculável, é interessante autorizar madeireiras asiáticas a desmatarem florestas...

Há futuro?

Há. A humanidade conhece fontes alternativas de energia, desenvolve tecnologia para uso de combustíveis "verdes" como álcool e óleos vegetais, aprende a reciclar materiais - o que economiza consideravelmente energia, reaprende a manejar florestas e a pensar de modo conservacionista. Apenas esquece de democratizar estes conhecimentos.

A conscientização dos povos e seu respectivo exercício de cidadania será a fonte geradora da modificação tão necessária ao comportamento da economia mundial e suas conseqüências. O entendimento desta necessidade é o primeiro passo. Comecemos a caminhar.

 

GÁS CARBÔNICO (CO2) - Substância de natureza ácida (ao reagir com a água forma ácido carbônico) que foi introduzida na atmosfera terrestre pelos primeiros seres vivos (bactérias primitivas) no processo de respiração celular. A Respiração Celular consiste num tipo de queima de substâncias orgânicas (como o açúcar), sendo o fenômeno que permite a todos os organismos produzir a energia fundamental para a realização dos processos vitais. Qualquer tipo ser vivo libera gás carbônico pela respiração: os fungos, as bactérias, os animais, os protistas, as plantas. Contudo, apenas as plantas são capazes de reciclar o CO2 através da fotossíntese ,liberando gás oxigênio para a atmosfera. Por isso que o gás carbônico é anterior ao surgimento do gás oxigênio na história da vida na Terra.


COMBUSTÍVEIS VERDES - Substâncias derivadas de plantas que substituem os combustíveis fósseis. São chamados de verdes porque para produzi-los os vegetais precisaram retirar gás carbônico da atmosfera no processo da fotossíntese. O gás liberado em sua queima é devolvido à atmosfera ao mesmo tempo que será reabsorvido por uma biomassa vegetal correspondente à utilizada para sua produção, que foi replantada. Mesmo considerando o CO2 liberado por conta da respiração, plantas jovens e de regiões tropicais apresentam um saldo favorável de oxigênio, diferente dos fósseis que estavam enterrados há milhões de anos e em cerca de dois séculos foram jogados de volta na atmosfera.

 

Deixe seus comentários

0 / 1000 Character restriction
Your text should be in between 10-1000 characters
termos e condições.

Pessoas nesta conversa